Tubo

FUNÇÃO

Aparentemente muito simples e muitas vezes menosprezado, o tubo é o segundo elemento do trio básico do equipamento de mergulho (Máscara, Tubo e Barbatanas).

Ainda que limitado ao deslocamento à superfície, onde se torna no complemento natural da máscara, o tubo em situações é determinante para a segurança do mergulhador e conforto do mergulhador.

A sua função está relacionada com os deslocamentos doo mergulhador à superficie, permitindo respirar com a face dentro água sem gastar ar da garrafa de mergulho. Em situações de mar mais agitado a utilização do tubo à superficie, mesmo com a face fora de água, é essencial para a segurança e conforto do mergulhador antes e depois do mergulho.

CONSTRUÇÃO E MATERIAIS

No mercado existem variados modelos de tubos, que vão dos mais arcaicos até aos de desenho mais vanguardistas, uns de concepção simples, outros com válvulas e apêndices no seu design, além dos modelos especialmente dirigidos para pesca submarina ou específicos para a natação com barbatanas. Também variam o diâmetro e a curvatura do perfil do tubo e a posição do bocal, pormenores importantes para o conforto de utilização. A forma mais comum do bocal é a de um “J” ou de um “L”.

O tubo é composto basicamente por duas partes:

  • Um bocal em borracha ou silicone macio, que o mergulhador fixa entre os dentes (sem trincar) e veda entre os lábios, e
  • Um tubo rígido ou semi rígido que sobe ao lado da cabeça, possibilitando a entrada do ar.

ESCOLHER O TUBO

O comprimento do tubo não deve ultrapassar os 40cm. Quanto maior for, maior é o espaço e volume de ar que teremos de mobilizar na inspiração e expiração. O percurso que o ar realiza na traqueia e vias aéreas superiores, é agora aumentado pelo tubo, o que se traduz em uma maior dificuldade na realização dos ciclos respiratórios.

Além disso, se o tubo for demasiado comprido, também dificultará a expulsão da água do seu interior. Por outro lado, se for muito curto permitirá uma fácil entrada de água podendo levar o mergulhador a engasgar-se.
Quanto ao diâmetro interior, deverá ter aproximadamente 2cm (mais ou menos o diâmetro onde cabe o dedo polegar, mas o mais correto é medir). Se o diâmetro for maior dificulta a expulsão da água e se for muito menor oferece resistência à passagem do ar, podendo criar dificuldades a respirar.

Há duas formas de colocar o tubo:

  • Pode ser preso à precinta da máscara com uma peça de fixação.
  • Simplesmente entalado por baixo da precinta, sem qualquer peça de fixação (cuidado ao tirar a máscara para não perder o tubo).

Para o mergulhador com escafandro, o modelo de tubo mais conveniente é o mais simples possível e com as seguintes características:

  • Ter diâmetro suficientemente largo (2 cm) para evitar fadiga respiratória.
  • Ter cerca de 40cm porque o peso do escafandro à superfície tem tendência a afundar a cabeça.
  • Ter perfil direito, para evitar a entrada de água com ondulação.

MANUTENÇÃO

Os cuidados com a manutenção são os mesmos indicados para a máscara: lavar com água doce após o mergulho e secar à sombra.