Regulador

FUNÇÃO

O regulador é a peça mais importante do escafandro. Tem como função reduzir a pressão do ar armazenado na garrafa e fornecê-lo ao mergulhador a uma pressão respirável, isto é, à mesma pressão a que se encontra a água que o rodeia (pressão ambiente).

REGULADOR DE DUAS TRAQUEIAS

O regulador de duas traqueias foi criado em 1945 por Jaques Yves Cousteau e Emile Gagnant. Baseando-se na invenção de Rouquayrol/Denayrouze (1864/1865), Cousteau e Gagnant desenharam e construíram um regulador de extrema simplicidade, o CG45. Este protótipo deu origem ao regulador Mistral, de um só andar, com duas traqueias, que rapidamente se tronou no mais difundido à escala mundial pelo seu sucesso.

Foi este regulador que permitiu o desenvolvimento extraordinário que o mergulho conheceu a partir dos anos 50, tendo entretanto caído em desuso, com o aparecimento do regulador de uma mangueira e dois andares separados.

REGULADOR MODERNO

Os novos reguladores são constituídos por dois corpos unidos por uma mangueira, são eles:

  • O Primeiro Andar
  • O Segundo Andar

O primeiro andar do regulador (andar de alta pressão) é metálico e tem a função de reduzir a alta pressão a que se encontra o ar na garrafa para uma pressão intermédia fixa (vulgarmente designada baixa pressão). Este corpo está acoplado à torneira da garrafa pelo sistema Yoke ou pelo sistema DIN, consoante o tipo da saída da torneira.

O primeiro andar tem várias saídas LP (ar à pressão intermédia). De uma das saídas LP sai uma mangueira que leva o ar à pressão intermédia até ao segundo andar do regulador.

As mangueiras de alimentação do segundo andar de emergência, do colete e do fato seco, são ligadas às restantes saídas de pressão intermédia. O primeiro andar tem também uma ou duas saída HP (ar directamente à pressão da garrafa), onde se liga o manómetro.

O segundo andar, que pode ser metálico ou de plástico de alta resistência, reduz a pressão intermédia do ar para a pressão ambiente, permitindo assim que o mergulhador respire sem qualquer esforço.

Basicamente, o segundo andar tem uma válvula de entrada, que regula a admissão do ar a inspirar de acordo com a pressão ambiente, um bocal, através do qual o mergulhador respira, e uma válvula de saída, por onde sai o ar expirado. Possui também um botão de purga que permite ao mergulhador abrir manualmente a válvula de entrada e pôr o regulador a deitar ar continuamente (débito contínuo), caso seja necessário.

REGULADOR DE EMERGÊNCIA

A utilização de uma fonte alternativa de ar, que poderá ser um regulador de emergência ou apenas de um segundo andar de emergência, é obrigatória para todos os praticantes (NP EN 14153-1 2005).

A vantagem desta fonte alternativa é permitir que no caso de avaria do regulador principal o mergulhador possa utilizá-la para respirar ou, numa situação de emergência, o mergulhador possa dar ar a um companheiro sem que seja necessário partilhar o regulador principal.

Normalmente o segundo andar de emergência está ligado a uma das saídas de baixa pressão do primeiro andar, através de uma mangueira bastante mais comprida, para mais facilmente chegar ao mergulhador assistido. Alguns destes segundos andares têm o bocal virado para o recebedor, não sendo necessário torcer a mangueira para lhe introduzir o bocal na boca, o que facilita bastante a manobra de dar ar.

Como alternativa, o mergulhador pode optar por um segundo andar de emergência integrado no sistema de enchimento do colete. A alimentação deste segundo andar é feita pela mangueira de enchimento do colete.

Se a torneira da garrafa tiver mais do que uma saída, o mergulhador pode montar um segundo regulador (em vez de um segundo andar de emergência). Com esta solução, mesmo que surja uma falha no primeiro andar do regulador principal, é sempre possível respirar pelo regulador
de emergência.

Durante o transporte o regulador deve ser acondicionado de forma a evitar pancadas ou agressões suscetíveis de lhe provocar danos

MANUTENÇÃO

Após cada utilização o regulador deve ser lavado com água doce e seco à sombra, de preferência pendurado pelo primeiro andar.

Sempre que possível, o regulador deverá ser lavado ainda acoplado à garrafa e com a torneira aberta.