Princípio do Companheiro de Mergulho

O sistema do “companheiro de mergulho” (buddy system) é a forma mais segura de mergulhar, pois só assim podemos ajudar e ser ajudados em caso de dificuldade, prevenindo complicações graves.

O “companheiro de mergulho” é um elemento essencial para a segurança do mergulhador. Regra de ouro do mergulho – Nunca mergulhar sozinho

Quando mergulhamos em grandes grupos de mergulhadores, devemos-nos organizar aos pares.

O sistema de mergulho a pares (princípio do “companheiro de mergulho”) permite que os mergulhadores trabalhem em conjunto em todas as fases do mergulho:

  • Preparação antes do mergulho
  • Entrada na água
  • Descida e atitude durante o mergulho
  • Subida e Chegada à Superfície
  • Saída da Água
  • Reunião Final

Desta forma, conseguimos entender a importância do companheiro de mergulho e que o seu papel começa à superfície, mesmo antes do início do mergulho, na ajuda mútua na colocação do equipamento e na verificação do estado operacional de todo o material.

Na descida e durante todo o mergulho o companheiros deverão permanecer próximos um do outro, verificando regularmente a pressão do manómetro, o tempo de mergulho decorrido e os limites de profundidade, comunicando entre si de forma a prevenir qualquer situação de emergência.

Durante uma imersão, se por qualquer motivo os elementos do par se afastarem e perderem um do outro, cada um deverá subir um pouco rodando sobre si mesmo (360º) tentando localizar o companheiro. Se ao fim de 1 min não o conseguirem, deverão subir para se encontrarem à superfície.

A subida deverá ser comunicada ao companheiro e ao líder de mergulho caso esteja a mergulhar por exemplo em um grupo de mergulho organizado (saída de mergulho de um centro de mergulho com guia de mergulho).

No caso de só um elemento regressar à superfície sozinho este deverá dar de imediato o alarme de “perda do companheiro” para que seja despoletado o plano de emergência estabelecido previamente