Garrafa

FUNÇÃO

A garrafa de mergulho, é um reservatório cilíndrico, metálico, capaz de armazenar ar comprimido a pressões muito elevadas (200 ou 300bar). A torneira é enroscada e vedada com uma junta tórica, de forma a reter o ar dentro da garrafa (desta peça se falará mais adiante).

CARACTERÍSTICAS

A garrafa é normalmente fabricada em liga de aço ou de alumínio, sendo as garrafas de aço as mais utilizadas em Portugal. As capacidades mais usuais são as de 10, 12 e 15 litros.

Normalmente a garrafa tem uma base em plástico ou borracha, que serve para que a garrafa possa ser colocada de pé quando está a ser carregada.

CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS

As características técnicas da garrafa estão inscritas no bojo superior da mesma, junto ao gargalo. Nestas inscrições podemos ver os seguintes elementos:

  • Data de fabrico da garrafa.
  • Data da ultima prova hidráulica.
  • Pressão de serviço (pressão máxima a que a garrafa pode ser carregada).
  • Pressão de ensaio (pressão de teste da garrafa na prova hidráulica).
  • Capacidade.
  • Peso.
  • Homologação da EU (União Europeia).

ENCHIMENTO

As garrafas são carregadas em compressores especialmente fabricados para o efeito, com sistemas de purificação que tornam o ar próprio para ser respirado sob pressão.

Há toda a vantagem de que o enchimento da garrafa seja feito lentamente para evitar um aquecimento muito rápido.

CUIDADOS NO ENCHIMENTO

Para que as condições de segurança deste processo estejam reunidas, nenhuma garrafa deve ser cheia se a data da prova hidráulica estiver fora do prazo exigido por lei. Além disso, nunca se deve exceder a pressão de serviço para evitar deformação permanente do material.

Estes cuidados devem ser tomados pelo pessoal afecto à estação de enchimento, que também deverá ter a máxima atenção ao estado dos filtros do compressor, cuja duração prevista deve ser respeitada.

De acordo com a legislação europeia, as garrafas fabricadas a partir de 1995 terão obrigatoriamente de apresentar o punção da “homologação da UE”, para que possam fazer a prova hidráulica e o enchimento.

CUIDADOS COM A GARRAFA

Ainda que a garrafa seja o elemento mais robusto do escafandro deve ter-se o máximo cuidado no seu manuseamento, sobretudo por causa da fragilidade da torneira que, dada a sua posição saliente, está sempre sujeita a pancadas que a podem danificar.

A garrafa deve estar sempre deitada para não cair acidentalmente, o que pode causar estragos e magoar quem estiver perto.

Durante o transporte (automóvel, barco), além de deitada, a garrafa deve estar entalada para não rolar, evitando que a torneira sofra pancadas.

A pintura da garrafa deve ser mantida em bom estado de conservação, uma vez que as esfoladelas e cortes são portas de entrada para a oxidação do material. A utilização de redes ou lonas envolvendo o corpo da garrafa são protecções adequadas, apesar de terem alguns inconvenientes.

Deve-se evitar abrir demasiado a torneira e deixar sair rapidamente o ar, para impedir que se forme condensação no interior da garrafa devido ao brusco arrefeci- mento que se verifica quando o ar se expande.

É conveniente que todos os anos seja feita uma inspecção visual ao interior da garrafa para se avaliar o estado de conservação interno (ausência ou não de ferrugem ou corrosão), inspecção essa que deverá ser feita por um técnico habilitado.

Nunca deixar uma garrafa com a torneira aberta.
Durante longos períodos de armazenamento, a garrafa deve ser mantida de pé para que a água resultante da condensação se deposite no fundo, que é parte mais espessa da garrafa, e fechada com ar comprimido à volta dos 50b.