Como Agir Perante Vestígios Arqueológicos

INTERVENÇÃO NO LOCAL

O mergulhador recreativo desempenha um papel fundamental e pode dar um contributo de grande importância para a arqueologia subaquática, se agir de forma correta. O mais importante que o mergulhador pode fazer é o registo rigoroso da posição do vestígio que encontrou. Para isso, o ideal seria subir na vertical do vestígio encontrado e, chegado à superfície, tirar marcas para terra (enfiamentos ou azimutes). Se tal não for possível, logo que suba para abordo da embarcação deve tirar marcas ou azimutes para terra, ou registar a posição por GPS. Estes dados devem ser imediatamente assentes para evitar falhas de memória.

Além disso, ao encontrar vestígios de património cultural submerso, o mergulhador deve deixar no lugar e não alterar a disposição daquilo que descobre.

APÓS O MERGULHO

É importante que o mergulhador registe tudo o que viu imediatamente a seguir ao mergulho (ou mesmo durante o próprio mergulho), nunca se fiando na memória.

Deve fazer sempre a declaração oficial do achado à entidade competente (nem que seja por telefone ou e-mail). Esta é a única forma de garantir simultaneamente a riqueza documental do achado e a sua conservação, o reconhecimento do mérito do mergulhador e dos seus direitos, assim como o seu estatuto de futuro participante e colaborador das atividades arqueológicas subaquáticas desenvolvidas em Portugal.