4. Datação Absoluta

A necessidade de estabelecimento de métodos de datação mais exatos de sempre encontrou patente no mundo da arqueologia: era imperativo encontrar marcos temporais mais bem definidos para desenvolver a datação absoluta, baseada na simples comparação. Nos anos 40 do século XX, Willard Libby descobriu que o carbono 14 presente na matéria orgânica viva, se alterava, após a morte desta matéria, a uma velocidade constante e passível de ser medida. Esta descoberta constituiu uma revolução para as técnicas de datação e estabeleceu o início da datação absoluta, ou seja, de determinação da idade de objeto/acontecimento relativamente ao momento presente e/ou em função de um calendário convencionado.