Módulo 5, Tópico 2
Em andamento

M-values e Gradient Factors

Módulo Progresso
0% Completo

A letra “M” em M-value significa “Máximo”. Para uma determinada pressão ambiente um M-value é definido como a máxima tensão tolerada admitida por um determinado tecido (corresponde à tensão crítica do tecido). Os M-values representam os limites tolerados pelos tecidos para os máximos gradientes entre a tensão do gás inerte e a pressão ambiente. A denominação M-value é habitualmente utilizada pelos autores dos modelos de descompressão.

Os Gradient Factors (GF) correspondem a frações dos M-values, sendo definidos entre 0 e 1 (um GF = 0 corresponde à linha da pressão ambiente; um GF = 1 corresponde à linha do M-value). Os Gradient Factors modificam as equações originais dos M-values de forma a ser introduzido um certo grau de conservadorismo no cálculo da descompressão (introduzem uma margem de segurança).

Dito de outro modo, os Gradient Factors representam as tensões máximas que o mergulhador pretende assumir para o seu mergulho (inferiores às tensões críticas).

O “Gradient Factor Low” (GF Lo) determina a profundidade do primeiro patamar de descompressão. O “Gradient Factor High” (GF Hi) determina a tensão admissível nos tecidos ao atingir a superfície.

Exemplo típico do “setpoint” (valor programado no computador) dos Gradient Factors: GF Lo = 40% / GF Hi = 85%. A determinação deste tipo de “setpoints” encontra-se suportada por vários estudos científicos baseados em extensas leituras da presença de “silent bubbles” (micro-bolhas detetadas na circulação sanguínea mas que não provocam doença de descompressão) através da monitorização por ultrassons com Doppler.

O gráfico acima demonstra a relação entre a variação da pressão ambiente (eixo horizontal – x) e a tensão ao nível do tecido em análise (eixo vertical – y). Este gráfico apresenta duas linhas fundamentais: a “Ambient Pressure Line” (que representa a evolução da variação da pressão ambiente em função da profundidade) e a “M-value Line” (que representa a correspondente evolução da tensão crítica no tecido em análise, à medida que a pressão ambiente varia).

O “M-value gradient” não é mais do que o gradiente (ou diferencial) entre as duas variáveis em análise (pressão ambiente e tensão crítica), para cada profundidade. Dito de outro modo, o “M-value gradient” representa a amplitude existente entre a pressão ambiente e o M-value.

O Gradient Factor, conforme já referido, corresponderá então a uma determinada fração do M-value (ou tensão crítica) no tecido em questão.

Como decorre da exposição anterior, este gráfico mostra ainda um exemplo de setpoint em que o GF Lo se encontra definido em 20% e o GF Hi está definido em 60%, o que representa uma margem de segurança muito conservadora.

A imagem acima ilustra o princípio subjacente à adoção de uma margem de segurança (Gradient Factor) na seleção do setpoint para a nossa descompressão. Se admitirmos que a linha da tensão crítica (M-value) corresponde ao limite máximo admissível do ponto de vista da descompressão, facilmente se compreenderá que ao adotarmos a referida margem de segurança, aqui representada pela linha a tracejado (“Actual Profile”), estaremos com certeza menos expostos à formação de micro-bolhas, assim como ao desenvolvimento de sintomas de doença de descompressão. Isso significará, como se pode verificar na imagem, um tempo de descompressão mais alargado e uma menor exposição ao risco.