CMAS Portugal

CMAS Portugal

BLUE HELMETS OF THE SEA

O projecto Blue Helmets of the Sea, tem como missão a preservação do patrimonio cultural subaquático (Arqueologia Subaquática) e protecção do ambiente marinho (Boas práticas ambientais), tendo sido apresentado em 2016 na antiga cidade grega de Paestum, no sul da Itália.

O projecto é promovido pela Confederação Mundial de Atividades Subaquáticas (CMAS), instituição fundada em 1959 pelo explorador e diretor de cinema francês Jacques-Yves Cousteau. A CMAS trabalhará com a UNESCO, universidades e organizações sem fins lucrativos no projeto, sendo também um dos grandes objetivos suportar institucionalmente iniciativas relacionadas com a limpeza de lixo marinho, onde se incluem os plásticos e artes de pesca abandonadas. 

 

O “Blue Helments of the Sea” apresentam o reconhecimento do Parlamento Europeu através do seu comité de cultura e educação e da UNESCO.

“(…) reconhecimento do Parlamento Europeu através do seu comité de cultura e educação e da UNESCO.”

Código de boas Práticas da
UNESCO/CMAS para o Mergulho Científico

O Código de Boas Práticas para Mergulho Científico foi preparado pelo Comité Científico do CMAS para fornecer aos mergulhadores científicos orientações sobre práticas seguras sob variadas condições experimentais e ambientais.
 

O Código oferece conselhos e recomendações sobre práticas administrativas, seguros, condições de trabalho, standards médicos, standards de treino, planeamento do mergulho, segurança para mergulho com misturas respiratórias, diferentes sistemas/equipamentos respiratórios, planeamento de expedições e orientação para uma ampla gama de diferentes ambientes de mergulho.

As condições analisadas incluem o mergulho nos circulos polares, mergulho em cavernas, mergulho noturno, mergulho em águas abertas, mergulho em altitude, etc. São também fornecidas recomendações para o uso de vários tipos de equipamentos potencialmente perigosos, como sistemas elétricos, tóxicos, produtos químicos e marcadores radioativos.

 
O Código não tem autoridade legal, sendo que a legislação nacional terá precedência sobre este Código. No entanto, pretende-se que este documento seja compatível com a legislação e ajude os legisladores, instituições representantes do mergulho, administradores, diretores clinicos, diretores de laboratórios e mergulhadores a manter a segurança em todos os momentos. Os métodos e práticas recomendadas derivam da experiência profissional e contribuição de muitas universidades e laboratórios marítimos.
 
Referências detalhadas à bibliografia e endereços dos especialistas:
 
N.C. Flemming & M.D. Max, Scientific Committee of the Confederation Mondiale des Activites Subaquatiques (CMAS),1988, Code of practice forand Cultural Organization, 7 Place de Fontenoy. 75700 Paris, ISSN 0503·4299
 
N.C. Flemming & M.D. Max, Scientific Committee of the Confederation Mondiale des Activites Subaquatiques (CMAS),1996, Scientific Diving: A General Code of Practice. Unesco; 2nd edition (May 1996), ISBN-13: 978-9231032509